INFORMAÇÃO PARA A VIAGEM
  • Bagagem
  • Bagagem de mão
  • É possível levar artigos pessoais, desde que não desde que não sejam comprometidos o conforto, a segurança e a higiene dos passageiros, além de ser de fácil acomodação com um total de até 5 quilos no porta-embrulho, localizado no interior do ônibus.  Este artigo deverá ser acomodado com total segurança e não deve ultrapassar as dimensões máximas do porta-embrulho.

    42cm (Profundidade), 78cm (Largura), 26cm (Altura)

    Se a sua bagagem de mão exceder o limite de tamanho e/ou peso, você deverá despachá-la no bagageiro do ônibus, respeitando a franquia máxima permitida por passageiro.

    A empresa recomenda que o cliente identifique sua bagagem com, nome, endereço e telefone, através de etiquetas que podem ser afixadas em uma das alças.

    O cliente deve ficar atento a sua bagagem de mão durante toda a viagem, inclusive nas paradas, pois a responsabilidade pela bagagem de mão é totalmente do passageiro.

  • Bagagem despachada no bagageiro
  • No bagageiro o cliente tem direito a despachar até 30 quilos, respeitando o volume máximo (comprimento x largura x altura) de 350 decímetros cúbicos e limitando a maior dimensão de qualquer volume a 1 metro. Exemplo: 100 cm de comprimento X 50 cm de largura X 60 cm de altura.

    É direito do cliente, e dever da empresa, receber os comprovantes do despacho das bagagens despachadas no bagageiro dos ônibus, devendo mantê-los consigo até a sua retirada.

    A empresa recomenda que objetos de valor como, joias, dinheiro, notebooks, celulares, máquinas fotográficas e outros equipamentos eletrônicos, estejam sempre próximo a você, a bordo do ônibus e durante as paradas.

     

  • Bagagens proibidas
  • Seguindo a legislação específica é proibido o transporte, no porta-embrulho ou no bagageiro,  de artigos perigosos que comprometam a segurança do veículo, seus ocupantes e terceiros, tais como:

    1. Arma de fogo

    Qualquer tipo de arma de fogo ou produto ou objeto que simule a arma, assim como munições de qualquer espécie.

    2. Botijão de gás

    Botijões de qualquer tipo de gás ou tamanho

    3. Cilindros de oxigênio

    Cilindros de qualquer tamanho ou quantidade, exceto os de uso individual para passageiros com autorização médica

    4. Corrosivos

    Material corrosivo, líquido, sólido ou gasoso que coloque em risco a segurança das pessoas, veículo e demais bagagens

    5. Explosivos

    Material explosivo que qualquer natureza, incluindo fogos de artificio.

    6. Gases

    Qualquer espécie de gás corrosivo, tóxico, inflamável, que coloque em risco a segurança da viagem ou dos passageiros

    7. Líquidos e sólidos inflamáveis

    Líquidos, como thinner, benzeno, gasolina, querosene, e outros similares, além de sólidos que, em condições de transporte, sejam facilmente combustíveis, ou que por atrito possam causar fogo ou contribuir para tal.

    8. Material radioativo

    Qualquer tipo de material ou equipamento radioativo, em qualquer estado ou condição.

  • Bagagens especiais e esportivas
  • 1. Instrumentos musicais, como violão, guitarra, baixo, viola e violino.

    O transporte dos instrumentos de corda é permitido desde que estejam devidamente embalados em estojos rígidos e no bagageiro do ônibus. É permitido o transporte no interior do ônibus desde que não ultrapasse o peso de 5 kg e as dimensões do porta-embrulho.

    2. Bicicletas.

    No bagageiro dos ônibus é possível transportar um total de 2 bicicletas. A bicicleta deve estar devidamente acondicionada, limpa, com o selim abaixado, rodas dianteira e traseira removidas e presas ao quadro da bicicleta, além do guidão virado e fique paralelo ao quadro, para que não cause nenhum dano as outras bagagens. É importante lembrar que o peso da bicicleta faz parte da franquia de bagagem que é de 30 quilos.

    3. Pranchas de surfe, windsurf, kitesurf.

    É possível transportar pranchas de surfe desde que estejam acondicionas em capas apropriadas e que não deixem as quilhas expostas, além de respeitar os limites de dimensão do bagageiro do ônibus. A capacidade de cada ônibus para este tipo de bagagem é de 4 pranchas no total.

    4. Monociclos, triciclos e bicicletas motorizadas, monociclos e triciclos.

    Não é possível o transporte no ônibus da empresa, mesmo que desmontados.

    5. Televisores, monitores e computadores “desktop”

    É possível o transporte no bagageiro do ônibus desde que estejam devidamente embalados em caixas de papelão e plástico tipo bolha, protegidos para impactos e trepidação, sendo necessário o preenchimento de conteúdo para artigos usados e a apresentação da nota fiscal para itens novos.

    6. Cadeira de rodas

    O transporte da cadeira de rodas utilizada pelo passageiro com necessidades especiais é realizado sem que o peso da cadeira seja cobrado ou computado na franquia de bagagem e tem embarque/desembarque prioritário.

  • Bagagens extraviadas ou danificadas
  • Em caso de dano ou extravio de bagagem, procure o funcionário responsável que se encontrar no local do desembarque. Preencha o formulário de reclamação de bagagem e apresente o ticket de bagagem e a sua passagem. A cópia destes documentos será anexada ao formulário preenchido que será encaminhado à empresa para que as devidas providências sejam tomadas. Para seu conforto, sugerimos que a bagagem receba identificação interna contendo os seus dados pessoais como: nome, telefone, CPF e endereço, pois, em caso de extravio ou esquecimento, será mais fácil devolvê-la.

     

  • Bagagens - Valor do Excesso
  • 1. Viagens intermunicipais dentro do mesmo estado

    Quando ultrapassada a franquia de bagagem, que é o limite de peso que pode ser transportado, o cliente deverá pagar 1% do valor da passagem, por cada quilograma (kg) excedido.

     

    2. Viagens interestaduais

    Em viagens entre os estados brasileiros, excedida a franquia de bagagem, o cliente deverá pagar 0,5% do preço da passagem correspondente ao serviço convencional com sanitário, por cada quilograma (kg) excedente.

     

  • Conheça nossos ônibus
  • Convencional
  • O serviço Convencional está presente em carros de 1 piso, com ar-condicionado, poltronas comuns com assentos acolchoados e reclináveis. Neste serviço, as poltronas não possuem apoio de pé.

  • Embarque para menores
  • Viagem dentro do Brasil

    Para o embarque você precisará apresentar o bilhete impresso em nossos totens ou guichês e obrigatoriamente um dos documentos oficiais abaixo:

     

    PASSAGEIROS MAIORES DE 12 ANOS

     

    Nenhuma criança ou adolescente menor de 16 anos poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhada dos pais ou responsável, sem expressa autorização judicial.

     

    1. Carteira de Identidade (RG);

    2. Carteira de identidade emitida por conselho ou federação de categoria profissional;

    3. Carteira de trabalho;

    4. Carteira de Identidade expedida por órgão subordinado à Presidência da República;

    5. Carteira de identidade expedida pelos Comandos das Forças Armadas;

    6. Cédula de Identidade de Estrangeiro - CIE

    7. Registro de Identificação Civil – RIC

    8. Passaporte;

    9. Carteira nacional de habilitação (CNH) física ou por meio de aplicativo digital oficial;

    10. Outro documento com fotografia e fé pública em todo território nacional.

     

    O documento apresentado deve ser original, com foto, em bom estado, ou cópia autenticada em cartório, e que permita o reconhecimento do seu portador.

    Em caso de extravio, furto ou roubo do documento de identificação do passageiro e em se tratando de viagem em território nacional, poderá ser apresentado o correspondente Boletim de Ocorrência, desde que emitido há menos de 30 (trinta) dias.

     

     

    PASSAGEIROS MENORES DE 12 ANOS (CRIANÇAS ENTRE 0 E 11 ANOS)

    Nenhuma criança ou adolescente menor de 16 anos poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhada dos pais ou responsável, sem expressa autorização judicial.

    1. Certidão de Nascimento;

    2. Carteira de identidade (RG);

    3. Passaporte brasileiro;

    O documento apresentado deve ser original, em bom estado, ou cópia autenticada em cartório, e que permita o reconhecimento do seu portador.

     

     

    PASSAGEIROS MENORES DE 16 ANOS VIAJANDO DESACOMPANHADO DOS PAIS OU RESPONSÁVEIS

     

    1. Não poderão viajar para fora da comarca onde residem, desacompanhadas dos pais ou responsável legal, sem expressa autorização judicial

    2. Poderão viajar, acompanhadas dos pais ou responsáveis legais, com a Carteira de Identidade (RG) ou a Certidão de Nascimento (original ou cópia autenticada).

    3. Poderão viajar acompanhadas de bisavós, avós, tios ou irmãos, maiores de 18 anos, sendo obrigatória a apresentação da Certidão de Nascimento, juntamente com a identificação do acompanhante, para a comprovação de parentesco.

    4. Poderão viajar acompanhadas de uma pessoa maior, sem nenhum grau de parentesco, quando expressamente autorizada pelo pai, mãe ou responsável, e que este esteja portando documentação, como a carteira de identidade. Apenas para este caso, a autorização pode ser realizada em cartórios, não sendo necessária a autorização judicial, com o reconhecimento da firma (assinatura) do pai, mãe ou responsável.

     

    Nenhuma criança ou adolescente menor de 16 anos poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhada dos pais ou responsável, sem expressa autorização judicial.

    Criança com até 5 anos (até 5 anos, 11 meses e 29 dias) possui gratuidade, desde que seja transportada no colo e sendo uma por passageiro, mas é necessário que os pais ou responsáveis realizem a emissão da gratuidade nos guichês para viagens entre estados.

     

     

     

     

  • Estudante e Professor
  • Estudantes e Professores têm direito a 50% (cinquenta por cento) de desconto no transporte intermunicipal do estado de São Paulo, os estudantes regularmente matriculados e os professores no exercício da profissão, para deslocamento entre residência e escola.

    O formulário, além de estar disponível em nossos guichês, está disponível aqui em nosso site.  Agora você pode fazer o download, preenchê-lo e  imprimi-lo na sua casa. Depois basta juntar toda documentação, levá-la em um de nossos guichês na rodoviária, pagar a taxa e em até 7 dias (sete dias úteis) sua carteirinha estará pronta e você poderá usufruir do benefício.

     

    Para ter acesso ao benefício é necessário:

    1. preencher o formulário de requisição de carteirinha disponível aqui.
    2. anexar xerox simples dos seguintes documentos: CPF, RG e 1 (uma) foto 3x4 atual;
    3. xerox do comprovante de residência com validade de 3 meses; caso esteja em nome de terceiros deverá autenticar uma declaração em cartório;
    4. original da declaração da instituição de ensino, datada e carimbada, para estudante / professor de cursos de graduação, pós-graduação, técnico, ensino médio e fundamental reconhecido pelo MEC;
    5. xerox autenticada da carteira de estudante fornecida pelo estabelecimento de ensino ou diploma, no caso de professor.

     

    Atenção:

    •  A carteirinha possui validade de 1 ano, tendo que ser renovada no início de cada ano letivo;
    •  A taxa para cadastro e emissão da carteirinha de identificação deverá ser paga no guichê da empresa, no momento da solicitação. Para o ano de 2019, o valor é de R$13,25 (Treze reais e vinte e cinco centavos, que correspondem a 0,5 UFESP's);
    • A empresa tem o prazo máximo de 7 dias úteis para a emissão da carteirinha
    • Os documentos e o formulário preenchido deverão ser entregues em um de nossos guichês, após dia 20 de Janeiro de 2019.
  • Gratuidades
  • ID Jovem
  • "Art. 32. - o sistema de transporte coletivo interestadual, observar-se-á, nos termos da legislação específica: (Regulamento) (Vigência) I - a reserva de 2 (duas) vagas gratuitas por veículo para jovens de baixa renda; II - a reserva de 2 (duas) vagas por veículo com desconto de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, no valor das passagens, para os jovens de baixa renda, a serem utilizadas após esgotadas as vagas previstas no inciso I. Parágrafo único. Os procedimentos e os critérios para o exercício dos direitos previstos nos incisos I e II serão definidos em regulamento." (Estatuto da juventude lei nº. 12.852, de 05 de agosto de 2013)

     

    DECRETO Nº 8.537, DE 5 DE OUTUBRO DE 2015

    Regulamenta a Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013, e a Lei nº 12.933, de 26 de dezembro de 2013, para dispor sobre o benefício da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos e para estabelecer os procedimentos e os critérios para a reserva de vagas a jovens de baixa renda nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 84, caput, incisos IV e VI, alínea "a", da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 23 e no art. 32 da Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013, e na Lei nº 12.933, de 26 de dezembro de 2013, DECRETA: Art. 1º Este Decreto regulamenta o benefício da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos por jovens de baixa renda, por estudantes e por pessoas com deficiência e estabelece os procedimentos e os critérios para a reserva de vagas a jovens de baixa renda nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual. Art. 2º Para os efeitos deste Decreto, considera-se: I - jovem de baixa renda - pessoa com idade entre quinze e vinte e nove anos que pertence à família com renda mensal de até dois salários mínimos, inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CadÚnico; II - estudante - pessoa regularmente matriculada em instituição de ensino, pública ou privada, nos níveis e modalidades previstos no Título V da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; III - pessoa com deficiência - pessoa que possui impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com outras pessoas; IV - acompanhante - aquele que acompanha a pessoa com deficiência, o qual pode ou não desempenhar as funções de atendente pessoal; V - Identidade Jovem - documento que comprova a condição de jovem de baixa renda; VI - Carteira de Identificação Estudantil - CIE - documento que comprova a condição de estudante regularmente matriculado nos níveis e modalidades de educação e ensino previstos no Título V da Lei nº 9.394, de 1996, conforme modelo único nacionalmente padronizado, com certificação digital e que pode ter cinquenta por cento de características locais; VII - eventos artístico-culturais e esportivos - exibições em cinemas, cineclubes e teatros, espetáculos musicais, de artes cênicas e circenses, eventos educativos, esportivos, de lazer e de entretenimento, promovidos por quaisquer entidades e realizados em estabelecimentos públicos ou particulares mediante cobrança de ingresso; VIII - ingresso - documento, físico ou eletrônico, que possibilita o acesso individual e pessoal a eventos artístico-culturais e esportivos, vendido por estabelecimentos ou entidades produtoras ou promotoras do evento; IX - venda ao público em geral - venda acessível a qualquer interessado indiscriminadamente, mediante pagamento do valor cobrado; X - transporte interestadual de passageiros - transporte que atende mercados com origem e destino em Estados distintos, ou entre Estados e o Distrito Federal; XI - serviço de transporte regular - serviço público delegado para execução de transporte interestadual de passageiros, operado por veículos do tipo rodoviário, ferroviário ou aquaviário, entre dois pontos terminais, aberto ao público em geral, com esquema operacional aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT ou pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários - Antaq; XII - serviço do tipo rodoviário - serviço de transporte que transita por estrada ou por rodovia municipal, estadual, distrital ou federal e que permite o transporte de bagagem em compartimento específico; XIII - serviço do tipo aquaviário - serviço de transporte que transita por rios, lagos, lagoas e baías e que opera linhas regulares, inclusive travessias; XIV - serviço do tipo ferroviário - serviço de transporte que transita por ferrovias municipais, estaduais, distrital ou federal em linhas regulares; XV - linha regular - serviço de transporte coletivo de passageiros executado em uma ligação de dois pontos terminais, aberto ao público em geral, de natureza regular e permanente, com itinerário definido no ato de sua delegação ou outorga; XVI - seção - serviço realizado em trecho do itinerário de linha do serviço de transporte, com fracionamento do preço de passagem; e XVII - bilhete de viagem do jovem - documento, físico ou eletrônico, que comprove o contrato de transporte gratuito ou com desconto de cinquenta por cento ao jovem de baixa renda, fornecido pela empresa prestadora do serviço de transporte, para possibilitar o ingresso do beneficiário no veículo, observado o disposto em Resolução da ANTT e da Antaq. Seção I Da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos Art. 3º Os estudantes terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação da CIE no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento. § 1º A CIE será expedida por: I - Associação Nacional de Pós-Graduandos - ANPG; II - União Nacional dos Estudantes - UNE; III - União Brasileira dos Estudantes Secundaristas - Ubes; IV - entidades estaduais e municipais filiadas às entidades previstas nos incisos I a III; V - Diretórios Centrais dos Estudantes - DCE; e VI - Centros e Diretórios Acadêmicos, de nível médio e superior. § 2º Observado o disposto no § 2º do art. 1º da Lei nº 12.933, de 2013, deverão constar os seguintes elementos na CIE: I - nome completo e data de nascimento do estudante; II - foto recente do estudante; III - nome da instituição de ensino na qual o estudante esteja matriculado; IV - grau de escolaridade; e V - data de validade até o dia 31 de março do ano subsequente ao de sua expedição. § 3º No ato de solicitação da CIE, o estudante deverá apresentar documento de identificação com foto expedido por órgão público e válido em todo território nacional e comprovante de matrícula correspondente ao ano letivo a que se refere o pedido. § 4º É vedada a cobrança de taxa de expedição da CIE para jovens estudantes de baixa renda, mediante comprovação dos requisitos estabelecidos no inciso I do caput do art. 2º. § 5º Os custos da expedição da CIE para jovens estudantes de baixa renda serão arcados pela instituição que a expedir. § 6º A CIE gratuita será idêntica à emitida a título oneroso e deverá ser expedida no mesmo prazo e por todos os locais credenciados para a sua expedição. Art. 4º As entidades mencionadas nos incisos do § 1º do art. 3º deverão manter o documento comprobatório do vínculo do aluno com a instituição de ensino e disponibilizar banco de dados com o nome e o número de registro dos estudantes portadores da CIE, pelo mesmo prazo de validade da CIE, para eventuais consultas pelo Poder Público, estabelecimentos, produtoras e promotoras de eventos. § 1º É vedada a guarda de dados pessoais, após o vencimento do prazo de validade da CIE. § 2º Ficam assegurados o sigilo e a proteção de dados pessoais apurados no banco de dados referido no caput, sob responsabilidade das entidades mencionadas, vedada sua utilização para fins estranhos aos previstos neste Decreto. Art. 5º Os jovens de baixa renda terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação, no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento, da Identidade Jovem acompanhada de documento de identificação com foto expedido por órgão público e válido em todo o território nacional. § 1º A Secretaria-Geral da Presidência da República, por meio da Secretaria Nacional de Juventude, emitirá a Identidade Jovem, conforme ato do Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República. § 2º A emissão de que trata o § 1º contará com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Art. 6º As pessoas com deficiência terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação, no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento: I - do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da pessoa com deficiência; ou II - de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. § 1º Os documentos de que tratam os incisos I e II do caput deverão estar acompanhados de documento de identificação com foto expedido por órgão público e válido em todo o território nacional. § 2º Os documentos previstos nos incisos I e II do caput serão substituídos, conforme regulamento, quando for instituída a avaliação da deficiência prevista no § 1º do art. 2º da Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, para fins da meia-entrada. § 3º Quando a pessoa com deficiência necessitar de acompanhamento, ao seu acompanhante também se aplica o direito ao benefício previsto no caput. § 4º Enquanto não for instituída a avaliação de que trata o § 2º, com a identificação da necessidade ou não de acompanhante para cada caso, o benefício de que trata o § 3ºserá concedido mediante declaração da necessidade de acompanhamento pela pessoa com deficiência ou, na sua impossibilidade, por seu acompanhante, no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento. Art. 7º O valor do ingresso de meia-entrada deve equivaler à metade do preço do ingresso cobrado para a venda ao público em geral. § 1º O benefício previsto no caput não é cumulativo com outras promoções e convênios. § 2º O benefício previsto no caput não é cumulativo com vantagens vinculadas à aquisição do ingresso por associado de entidade de prática desportiva, como sócio torcedor ou equivalente e com a oferta de ingressos de que trata o inciso X do caput do art. 4º da Lei nº 13.155, de 4 de agosto de 2015. Art. 8º A concessão do benefício da meia-entrada aplica-se a todas as categorias de ingressos disponíveis para venda ao público em geral. § 1º A regra estabelecida no caput aplica-se a ingressos para camarotes, áreas e cadeiras especiais, se vendidos de forma individual e pessoal. § 2º O benefício previsto no caput não se aplica ao valor dos serviços adicionais eventualmente oferecidos em camarotes, áreas e cadeiras especiais. Art. 9º A concessão do benefício da meia-entrada aos beneficiários fica assegurada em quarenta por cento do total de ingressos disponíveis para venda ao público em geral, em cada evento. Parágrafo único. Os ingressos destinados exclusivamente à venda para associados de entidades de prática desportiva, como sócio torcedor ou equivalente, não serão considerados para cálculo do percentual de que trata o caput. Art. 10. Os ingressos de meia-entrada, no percentual de que trata o caput do art. 9º, deverão ser reservados aos beneficiários a partir do início das vendas até quarenta e oito horas antes de cada evento, com disponibilidade em todos os pontos de venda de ingresso, sejam eles físicos ou virtuais. § 1º Após o prazo estipulado no caput, a venda deverá ser realizada conforme demanda, contemplando o público em geral e os beneficiários da meia-entrada, até limite de que trata o art. 9º. § 2º A venda de ingressos iniciada após o prazo estipulado no caput seguirá a regra do § 1º. § 3º No caso de eventos realizados em estabelecimentos com capacidade superior a dez mil pessoas, o prazo de que trata o caput será de setenta e duas horas. Art. 11. Os estabelecimentos, as produtoras e as promotoras de eventos disponibilizarão, de forma clara, precisa e ostensiva, as seguintes informações: I - em todos os pontos de venda de ingresso, sejam eles físicos ou virtuais, e na portaria ou na entrada do local de realização do evento: a) as condições estabelecidas para o gozo da meia-entrada, com a transcrição do art. 1º da Lei nº 12.933, de 2013; e b) os telefones dos órgãos de fiscalização; e II - em todos os pontos de venda de ingresso, sejam eles físicos ou virtuais: a) o número total de ingressos e o número de ingressos disponíveis aos beneficiários da meia-entrada de que trata este Decreto e, se for o caso, com a especificação por categoria de ingresso; e b) o aviso de que houve o esgotamento dos ingressos disponíveis aos beneficiários da meia-entrada de que trata este Decreto, incluindo formatos acessíveis a pessoas com deficiência sensoriais. Parágrafo único. Na ausência das informações previstas no inciso II do caput, será garantido ao jovem de baixa-renda, aos estudantes, às pessoas com deficiência e ao seu acompanhante, quando necessário, o benefício da meia-entrada, independentemente do percentual referido no caput do art. 9º. Art. 12. Os estabelecimentos, as produtoras e as promotoras de eventos deverão elaborar relatório da venda de ingressos após o encerramento das vendas, com indicação dos ingressos vendidos como meia-entrada. Parágrafo único. O relatório de que trata o caput deverá ser mantido pelo prazo de trinta dias, contado da data da realização de cada evento, em sítio eletrônico ou em meio físico. Seção II Reserva de vagas a jovens de baixa renda nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual Art. 13. Na forma definida no art. 32 da Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013, ao jovem de baixa renda serão reservadas duas vagas gratuitas em cada veículo, comboio ferroviário ou embarcação do serviço convencional de transporte interestadual de passageiros e duas vagas com desconto de cinquenta por cento, no mínimo, no valor das passagens, a serem utilizadas depois de esgotadas as vagas gratuitas. § 1º Para fins do disposto no caput, incluem-se na condição de serviço de transporte convencional: I - os serviços de transporte rodoviário interestadual de passageiros, prestado em veículo de características básicas, com ou sem sanitários, em linhas regulares; II - os serviços de transporte ferroviário interestadual de passageiros, em linhas regulares; e III - os serviços de transporte aquaviário interestadual, abertos ao público, realizados em rios, lagos, lagoas e baías, que operam linhas regulares, inclusive travessias. § 2º Para fazer uso das vagas gratuitas ou com desconto de cinquenta por cento previstas no caput, o beneficiário deverá solicitar um único bilhete de viagem do jovem, nos pontos de venda da transportadora, com antecedência mínima de três horas em relação ao horário de partida do ponto inicial da linha do serviço de transporte, podendo solicitar a emissão do bilhete de viagem de retorno, observados os procedimentos da venda de bilhete de passagem. § 3º Na existência de seções, nos pontos de seção devidamente autorizados para embarque de passageiros, a reserva de assentos deverá estar disponível até o horário definido para o ponto inicial da linha, conforme previsto no § 2º. § 4º Após o prazo estipulado no § 2º, caso os assentos reservados não tenham sido objeto de concessão do benefício de que trata este Decreto, as empresas prestadoras dos serviços poderão colocá-los à venda. § 5º Enquanto os bilhetes dos assentos referidos no § 4º não forem comercializados, continuarão disponíveis para o exercício do benefício da gratuidade e da meia-passagem. § 6º O jovem deverá comparecer ao terminal de embarque até trinta minutos antes da hora marcada para o início da viagem, sob pena de perda do benefício. § 7º O bilhete de viagem do jovem é nominal e intransferível e deverá conter referência ao benefício obtido, seja a gratuidade, seja o desconto de cinquenta por cento do valor da passagem. Art. 14. No ato da solicitação do bilhete de viagem do jovem, o interessado deverá apresentar a Identidade Jovem acompanhada de documento de identificação com foto expedido por órgão público e válido em todo território nacional. Parágrafo único. Quando o benefício não for concedido, as empresas prestadoras dos serviços de transporte deverão emitir ao solicitante documento que indicará a data, a hora, o local e o motivo da recusa. Art. 15. O beneficiário não poderá fazer reserva em mais de um horário para o mesmo dia e mesmo destino ou para horários e dias cuja realização da viagem se demonstre impraticável e caracterize domínio de reserva de lugares, em detrimento de outros beneficiários. Art. 16. O bilhete de viagem do jovem será emitido pela empresa prestadora do serviço, em conformidade com a legislação tributária e com os regulamentos da ANTT e da Antaq. Parágrafo único. As empresas prestadoras dos serviços de transporte deverão informar à ANTT e à Antaq a movimentação de usuários titulares do benefício, por seção e por situação, na periodicidade e na forma definida por estas Agências em regulamento. Art. 17. O jovem de baixa renda titular do benefício a que se refere o art. 13 terá assegurado os mesmos direitos garantidos aos demais passageiros. Parágrafo único. Não estão incluídas no benefício as tarifas de utilização dos terminais, de pedágio e as despesas com alimentação. Art. 18. O jovem de baixa renda está sujeito aos procedimentos de identificação de passageiros ao se apresentar para embarque, de acordo com o estabelecido pela ANTT e pela Antaq. Art. 19. Além dos benefícios previstos no art. 13, fica facultada às empresas prestadoras de serviços de transporte a concessão ao jovem de baixa renda do desconto mínimo de cinquenta por cento do valor da passagem para os demais assentos disponíveis do veículo, comboio ferroviário ou da embarcação do serviço de transporte interestadual de passageiros. Art. 20. As empresas prestadoras dos serviços de transporte disponibilizarão em todos os pontos de venda de passagens, sejam eles físicos ou virtuais, cópia do art. 32 da Lei nº 12.852, de 2013, e deste Decreto. Art. 21. O benefício de que trata o art. 13 será disciplinado em resolução específica pela ANTT e pela Antaq, assegurada a disponibilização de relatório de vagas gratuitas e vagas com desconto concedidas. Seção III Disposições Finais Art. 22. O descumprimento das disposições previstas no art. 23 e no art. 32 da Lei nº 12.852, de 2013, na Lei nº 12.933, de 2013, e neste Decreto sujeita os estabelecimentos, produtoras e promotoras responsáveis pelos eventos culturais e esportivos e as empresas prestadoras dos serviços de transporte às sanções administrativas estabelecidas no Capítulo VII do Título I da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, e no art. 78-A e seguintes da Lei nº 10.233, de 5 de junho de 2001, sem prejuízo das demais sanções previstas em lei. Art. 23. A emissão irregular ou fraudulenta de carteiras estudantis sujeita a entidade emissora às sanções previstas no parágrafo único do art. 3º da Lei nº 12.933, de 2013, sem prejuízo das demais sanções previstas em lei ou das sanções aplicáveis aos responsáveis pela irregularidade ou fraude. Art. 24. A fiscalização do cumprimento do disposto na Lei nº 12.933, de 2013, e neste Decreto será exercida em todo território nacional pelos órgãos públicos competentes federais, estaduais, municipais e distrital, conforme área de atuação. Art. 25. Aplicam-se as seguintes regras transitórias aos eventos realizados após a entrada em vigor deste Decreto, mas que tiveram ingressos vendidos, total ou parcialmente, antes da referida vigência: I - os meios de comprovação aceitos pelos estabelecimentos, produtoras e promotoras para compra de ingresso com benefício da meia-entrada, antes da vigência deste Decreto, não podem ser recusados para acesso aos eventos, na portaria ou no local de entrada; e II - o percentual de quarenta por cento de que trata o art. 9º poderá ser calculado sobre o total de ingressos disponibilizados para venda ao público em geral ou apenas sobre o número restante de ingressos disponíveis após a entrada em vigor deste Decreto, o que for mais benéfico aos estabelecimentos, produtoras e promotoras. Art. 26. Os relatórios de que tratam o art. 12 e o art. 21 devem ser disponibilizados apenas para os eventos e viagens que forem realizados após a entrada em vigor deste Decreto. Art. 27. Os órgãos competentes deverão adotar as medidas necessárias para disponibilizar, a partir de 31 de março de 2016, a Identidade Jovem e o bilhete de viagem do jovem, para fins de percepção do benefício de que tratam os art. 5º e art. 13. Art. 28. Este Decreto entra em vigor no dia 1º de dezembro de 2015. Brasília, 5 de outubro de 2015; 194º da Independência e 127º da República. DILMA ROUSSEFF Antônio Carlos Rodrigues João Luiz Silva Ferreira George Hilton Este texto não substitui o publicado no DOU de 6.10.2015" 1 DECRETO Nº. 8.537, DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. Regulamenta a Lei nº. 12.852, de 5 de agosto de 2013, e a Lei nº. 12.933, de 26 de dezembro de 2013, para dispor sobre o benefício da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos e para estabelecer os procedimentos e os critérios para a reserva de vagas a jovens de baixa renda nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual.

     

    Desconto de 50%

    LEI Nº 12.852, DE 5 DE AGOSTO DE 2013.

    Art. 32.  No sistema de transporte coletivo interestadual, observar-se-á, nos termos da legislação específica:

    I – a reserva de 2 (duas) vagas gratuitas por veículo para jovens de baixa renda;

    II – a reserva de 2 (duas) vagas por veículo com desconto de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, no valor das passagens, para os jovens de baixa renda, a serem utilizadas após esgotadas as vagas previstas no inciso I.

    Parágrafo único.  Os procedimentos e os critérios para o exercício dos direitos previstos nos incisos I e II serão definidos em regulamento.

    DECRETO Nº 8.537, DE 5 DE OUTUBRO DE 2015.

    Reserva de vagas a jovens de baixa renda nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual

    Art. 13.  Na forma definida no art. 32 da Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013, ao jovem de baixa renda serão reservadas duas vagas gratuitas em cada veículo, comboio ferroviário ou embarcação do serviço convencional de transporte interestadual de passageiros e duas vagas com desconto de cinquenta por cento, no mínimo, no valor das passagens, a serem utilizadas depois de esgotadas as vagas gratuitas.

    • 1ºPara fins do disposto nocaput, incluem-se na condição de serviço de transporte convencional:

    I – os serviços de transporte rodoviário interestadual de passageiros, prestado em veículo de características básicas, com ou sem sanitários, em linhas regulares;

    II – os serviços de transporte ferroviário interestadual de passageiros, em linhas regulares; e

    III – os serviços de transporte aquaviário interestadual, abertos ao público, realizados em rios, lagos, lagoas e baías, que operam linhas regulares, inclusive travessias.

    • 2ºPara fazer uso das vagas gratuitas ou com desconto de cinquenta por cento previstas nocaput, o beneficiário deverá solicitar um único bilhete de viagem do jovem, nos pontos de venda da transportadora, com antecedência mínima de três horas em relação ao horário de partida do ponto inicial da linha do serviço de transporte, podendo solicitar a emissão do bilhete de viagem de retorno, observados os procedimentos da venda de bilhete de passagem.
    • 3ºNa existência de seções, nos pontos de seção devidamente autorizados para embarque de passageiros, a reserva de assentos deverá estar disponível até o horário definido para o ponto inicial da linha, conforme previsto no § 2º.
    • 4ºApós o prazo estipulado no § 2º, caso os assentos reservados não tenham sido objeto de concessão do benefício de que trata este Decreto, as empresas prestadoras dos serviços poderão colocá-los à venda.
    • 5ºEnquanto os bilhetes dos assentos referidos no § 4ºnão forem comercializados, continuarão disponíveis para o exercício do benefício da gratuidade e da meia-passagem.
    • 6ºO jovem deverá comparecer ao terminal de embarque até trinta minutos antes da hora marcada para o início da viagem, sob pena de perda do benefício.
    • 7ºO bilhete de viagem do jovem é nominal e intransferível e deverá conter referência ao benefício obtido, seja a gratuidade, seja o desconto de cinquenta por cento do valor da passagem.

    Art. 14.  No ato da solicitação do bilhete de viagem do jovem, o interessado deverá apresentar a Identidade Jovem acompanhada de documento de identificação com foto expedido por órgão público e válido em todo território nacional.

    Parágrafo único.  Quando o benefício não for concedido, as empresas prestadoras dos serviços de transporte deverão emitir ao solicitante documento que indicará a data, a hora, o local e o motivo da recusa.

    Art. 15.  O beneficiário não poderá fazer reserva em mais de um horário para o mesmo dia e mesmo destino ou para horários e dias cuja realização da viagem se demonstre impraticável e caracterize domínio de reserva de lugares, em detrimento de outros beneficiários.

    Art. 16.  O bilhete de viagem do jovem será emitido pela empresa prestadora do serviço, em conformidade com a legislação tributária e com os regulamentos da ANTT e da Antaq.

    Parágrafo único.  As empresas prestadoras dos serviços de transporte deverão informar à ANTT e à Antaq a movimentação de usuários titulares do benefício, por seção e por situação, na periodicidade e na forma definida por estas Agências em regulamento.

    Art. 17.  O jovem de baixa renda titular do benefício a que se refere o art. 13 terá assegurado os mesmos direitos garantidos aos demais passageiros.

    Parágrafo único.  Não estão incluídas no benefício as tarifas de utilização dos terminais, de pedágio e as despesas com alimentação.

    Art. 18.  O jovem de baixa renda está sujeito aos procedimentos de identificação de passageiros ao se apresentar para embarque, de acordo com o estabelecido pela ANTT e pela Antaq.

    Art. 19.  Além dos benefícios previstos no art. 13, fica facultada às empresas prestadoras de serviços de transporte a concessão ao jovem de baixa renda do desconto mínimo de cinquenta por cento do valor da passagem para os demais assentos disponíveis do veículo, comboio ferroviário ou da embarcação do serviço de transporte interestadual de passageiros.

    Art. 20.  As empresas prestadoras dos serviços de transporte disponibilizarão em todos os pontos de venda de passagens, sejam eles físicos ou virtuais, cópia do art. 32 da Lei nº 12.852, de 2013, e deste Decreto.

    Art. 21.  O benefício de que trata o art. 13 será disciplinado em resolução específica pela ANTT e pela Antaq, assegurada a disponibilização de relatório de vagas gratuitas e vagas com desconto concedidas.

  • Idosos
  • Viagens entre estados do Brasil
  • De acordo com o Estatuto do Idoso se o cliente tem 60 anos ou mais é considerado idoso e prevê 100% de gratuidade, em ônibus de serviço convencional, seguindo as seguintes condições:

     

    1. Total de 2 (dois) lugares por ônibus de serviço convencional;

    2. Comprovar idade mínima de 60 anos, através de um dos seguintes documentos:

    a. Carteira de Identidade (RG);

    b. Carteira de identidade emitida por conselho ou federação de categoria profissional;

    c. Carteira de trabalho;

    d. Carteira de Identidade expedida por órgão subordinado à Presidência da República;

    e. Carteira de identidade expedida pelos Comandos das Forças Armadas;

    f. Cédula de Identidade de Estrangeiro – CIE;

    g. Registro de Identificação Civil – RIC;

    h. Passaporte;

    i. Carteira nacional de habilitação (CNH) física ou por meio de aplicativo digital oficial;

    j. Outro documento com fotografia e fé pública em todo território nacional.

    3. Possuir e comprovar renda igual ou inferior a 2 (dois) salários mínimos, através de um dos seguintes documentos:

    a. Carteira de Trabalho e Previdência Social com anotações atualizadas;

    b. Contracheque (holerite) de pagamento ou documento emitido pelo empregador;

    c. Carnê de contribuição do INSS;

    d. Extrato de pagamento de benefício ou declaração fornecida pelo INSS ou outro regime de previdência social público ou privado;

    e. Documento emitido pelas Secretarias de Assistência Social.

    4. Solicitar o “Bilhete de Viagem do Idoso” nos pontos de vendas próprios da transportadora com antecedência de pelo menos 3 (três) horas antes ao horário de partida do ônibus.

     

    O Estatuto do Idoso prevê, quando houver mais pessoas nas mesmas condições de gratuidade que queiram fazer o mesmo trajeto, no mesmo dia e veículo, e as vagas já estiverem ocupadas por outros idosos, elas terão direito a um desconto de 50% do valor da passagem, mas devendo pagar a tarifa de pedágio e de utilização do terminal rodoviário.

    Idosos devem ter embarque prioritário.

  • Viagens dentro do estado de São Paulo
  • De acordo com lei estadual o idoso, clientes com 60 anos ou mais, tem o direito a uma passagem com tarifa 100% gratuita, em viagens entre os municípios do Estado de São Paulo, em ônibus de serviço convencional, limitado a um total de 2 (dois) assentos por veículo.

     

    1. A reserva deve ser feita a partir de 05 (cinco) dias de antecedência da viagem, até 24 (vinte e quatro horas) contados do horário previsto para o horário da viagem, apenas presencialmente, pelo idoso, nas agências oficiais de vendas de passagens da empresa;
    2. É obrigatória a apresentação do CPF e RG pelo idoso para a reserva da passagem;
    3. A passagem é pessoal e intransferível;
    4. Não é necessária a apresentação de comprovante de renda mínima;
    5. O desconto NÃO se aplica as taxas de pedágio e/ou rodoviária;
    6. Idosos devem ter embarque prioritário.
  • Transporte de animais
  • Animais Domésticos
  • Vai viajar com seu melhor amigo em nossos ônibus? Aqui você encontra todas as informações para embarcar o seu cão ou gato e curtir uma viagem tranquila e segura.

     

    Regras Gerais

     

    ANIMAIS PERMITIDOS

    Somente gatos e cachorros de qualquer raça e não ferozes podem ser transportados. São permitidos apenas 2 animais por veículo.

     

    CAIXA DE TRANSPORTE

    A caixa de transporte deve ter no máximo 41cm de comprimento, 36cm de largura e 33cm de altura e não pode conter água nem alimentos. É proibido transportar animais nos bagageiros ou no porta-embrulho.

     

    PESO MÁXIMO

    O animal de estimação dentro da caixa de transporte pode ter peso máximo de 10kg. Especialmente para trajetos dentro do estado de São Paulo, o peso máximo é de 8kg.

     

    Antes da Viagem

     

    ATESTADO SANITÁRIO

    Atestado emitido com 3 dias de antecedência da viagem, por um veterinário credenciado ao Conselho Regional de Medicina Veterinária, comprovando a saúde do animal.

     

    VACINAÇÃO EM DIA

    Apresentar a carteira de vacinação do animal com destaque para a imunização antirrábica, obrigatória para pets com mais de 90 dias.

     

    SEDAÇÃO

    Se achar necessário, o animal pode ser sedado para a viagem conforme orientação do seu veterinário.

     

    No Trajeto

     

    POLTRONA GARANTIDA

    É possível comprar o assento ao lado para acomodar o animal. Especialmente para trajetos dentro do estado de São Paulo, esta compra é obrigatória.

     

    ACOMODE SEU AMIGO

    O animal deve ficar dentro da caixa de transporte durante todo o trajeto. Se não estiver em um assento exclusivo, o animal deverá ser acomodado próximo aos pés e nunca no colo.

     

    RECOMENDAÇÕES NAS PARADAS

    Recomendamos higienizar a caixa de transporte do animal a cada parada. Também é o momento ideal para levá-lo para fazer as necessidades e oferecer água.

  • Cão Guia
  • Fica assegurado o ingresso, nos meios de transporte público coletivo, de cães-guia quando acompanhando de pessoa portadora de deficiência visual.

    A identificação do cão-guia e a comprovação de treinamento do usuário dar-se-ão por meio da apresentação dos seguintes itens:

    1. Carteira de identificação e plaqueta de identificação, expedidas pelo centro de treinamento de cães-guia ou pelo instrutor autônomo;

    2. Carteira de vacinação atualizada, com comprovação da vacinação múltipla e antirrábica, assinada por médico veterinário com registro no órgão regulador da profissão;

    3. Equipamento do animal, composto por coleira, guia e arreio com alça.

     

    A plaqueta de identificação deve ser utilizada no pescoço do cão-guia.

    O cão em fase de socialização e treinamento deverá ser identificado por uma plaqueta, presa à coleira, com a inscrição “cão-guia em treinamento”, aplicando-se as mesmas exigências de identificação do cão-guia, dispensado o uso de arreio com alça.

    É vedada a exigência do uso de focinheira nos animais de que o Decreto nº. 5.904, de 21 de setembro de 2006, como condição para o ingresso e permanência em ambientes de uso coletivo.

  • Animais Silvestres
  • Os animais silvestres para serem transportados deverão estar devidamente acondicionados, conforme orientação do IBAMA, e acompanhados OBRIGATORIAMENTE dos seguintes documentos:

    1. GTA – Guia de Transporte de Animal.

    2. Atestado de saúde.

    3. Cartão de vacinação atualizado.

    4. Autorização de Transporte emitida pelo IBAMA.

       

    O animal deve pesar no máximo 10 kg (quilos) *, estar acomodado em contêiner específico para a espécie, com o limite de tamanho de 41cm x 36cm x 33cm (Comprimento X Largura X Altura), sendo somente 1 animal por contêiner. Serão aceitos até 02 (dois) contêineres por viagem, sendo apenas 1 por passageiro.

    É proibido o transporte de animal que por sua espécie, tamanho, ferocidade, peçonha ou saúde, comprometa o conforto e a segurança do veículo, de seus ocupantes ou de terceiros.

    (*) Para viagens dentro do estado de São Paulo o limite de peso máximo é de 8kg (quilos).

  • Seguro facultativo
  • Nos autos da Ação Civil Pública nº. 00128018-51.2000.403.6100/SP, em trâmite perante a 6ª Vara de Justiça Federal de São Paulo, ajuizada pelo Ministério Público Federal, em face da União, as empresas transportadoras não poderão comercializar o seguro facultativo, tendo em vista que os passageiros já estão cobertos pelo seguro de responsabilidade civil, cujo custo já está incluso no valor da tarifa.

  • Documento e horário para embarque
  • Documento para embarque
  • Viagem dentro do Brasil

    Para o embarque você precisará apresentar o bilhete impresso em nossos totens ou guichês e obrigatoriamente um dos documentos oficiais abaixo:

     

    PASSAGEIROS MAIORES DE 12 ANOS

     

    Nenhuma criança ou adolescente menor de 16 anos poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhada dos pais ou responsável, sem expressa autorização judicial.

     

    1. Carteira de Identidade (RG);

    2. Carteira de identidade emitida por conselho ou federação de categoria profissional;

    3. Carteira de trabalho;

    4. Carteira de Identidade expedida por órgão subordinado à Presidência da República;

    5. Carteira de identidade expedida pelos Comandos das Forças Armadas;

    6. Cédula de Identidade de Estrangeiro - CIE

    7. Registro de Identificação Civil – RIC

    8. Passaporte;

    9. Carteira nacional de habilitação (CNH) física ou por meio de aplicativo digital oficial;

    10. Outro documento com fotografia e fé pública em todo território nacional.

     

    O documento apresentado deve ser original, com foto, em bom estado, ou cópia autenticada em cartório, e que permita o reconhecimento do seu portador.

    Em caso de extravio, furto ou roubo do documento de identificação do passageiro e em se tratando de viagem em território nacional, poderá ser apresentado o correspondente Boletim de Ocorrência, desde que emitido há menos de 30 (trinta) dias.

     

     

    PASSAGEIROS MENORES DE 12 ANOS (CRIANÇAS ENTRE 0 E 11 ANOS)

    Nenhuma criança ou adolescente menor de 16 anos poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhada dos pais ou responsável, sem expressa autorização judicial.

    1. Certidão de Nascimento;

    2. Carteira de identidade (RG);

    3. Passaporte brasileiro;

    O documento apresentado deve ser original, em bom estado, ou cópia autenticada em cartório, e que permita o reconhecimento do seu portador.

     

     

    PASSAGEIROS MENORES DE 16 ANOS VIAJANDO DESACOMPANHADO DOS PAIS OU RESPONSÁVEIS

     

    1. Não poderão viajar para fora da comarca onde residem, desacompanhadas dos pais ou responsável legal, sem expressa autorização judicial

    2. Poderão viajar, acompanhadas dos pais ou responsáveis legais, com a Carteira de Identidade (RG) ou a Certidão de Nascimento (original ou cópia autenticada).

    3. Poderão viajar acompanhadas de bisavós, avós, tios ou irmãos, maiores de 18 anos, sendo obrigatória a apresentação da Certidão de Nascimento, juntamente com a identificação do acompanhante, para a comprovação de parentesco.

    4. Poderão viajar acompanhadas de uma pessoa maior, sem nenhum grau de parentesco, quando expressamente autorizada pelo pai, mãe ou responsável, e que este esteja portando documentação, como a carteira de identidade. Apenas para este caso, a autorização pode ser realizada em cartórios, não sendo necessária a autorização judicial, com o reconhecimento da firma (assinatura) do pai, mãe ou responsável.

     

    Nenhuma criança ou adolescente menor de 16 anos poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhada dos pais ou responsável, sem expressa autorização judicial.

    Criança com até 5 anos (até 5 anos, 11 meses e 29 dias) possui gratuidade, desde que seja transportada no colo e sendo uma por passageiro, mas é necessário que os pais ou responsáveis realizem a emissão da gratuidade nos guichês para viagens entre estados.

     

     

     

     

  • Horário para embarque
  • Tempo para chegar

    Solicitamos que você compareça para o embarque com antecedência mínima de 45 minutos antes da partida do ônibus.

    No período de verão e feriados, em qualquer cidade grande, o acesso aos terminais fica congestionado, e o deslocamento dentro das rodoviárias torna-se complicado devido à grande quantidade de pessoas transitando no local. Por isso, saia de casa com bastante antecedência e, dessa forma, evite a perda do horário de embarque.

    Atenção:

    Nos feriados e vésperas de feriados, orientamos aos nossos clientes antecedência mínima 01 (uma) hora ao seu horário de embarque.

     

    Atenção a Plataforma

    Nos períodos de grande movimento nas Rodoviárias, as plataformas de embarque podem ser alteradas sem aviso prévio. Confira o número da plataforma em seu bilhete de passagem e fique atento a chamada para o embarque.

     

    Duração viagem

    Durante altas temporadas, como no verão e feriados, o tempo previsto de viagem fica comprometido. Uma viagem que costuma durar 3 horas ou menos pode durar bem mais. Sendo assim, não considere o tempo previsto de viagem em condições e dias normais, tanto na ida quanto na volta. Se estiver fazendo conexões para outras localidades, aumente o tempo destinado às conexões em pelo menos 6 horas.

     

    Horários Extras

    Durante o verão e feriados, existe a possibilidade de abertura de horários extras. Intercalando os horários e ônibus de rotina. Logo, confira sempre o horário de embarque/chegada/trecho escolhido antes de finalizar sua compra.

  • Cancelamento e Reembolso
  • 1 –  será aceita a desistência da viagem, com a obrigatória devolução da importância paga, na mesma forma de pagamento realizada, desde que o cliente realize a comunicação nos guichês da transportadora com 3 (três) horas de antecedência em relação ao horário de partida do ônibus. Os bilhetes já impressos devem ser cancelados pelo titular, pessoalmente, em um de nossos guichês.

    2 – A partir do dia 06/03/2016 a Viação Cometa passará a cobrar de 5% (cinco por cento) de multa sobre o valor das passagens canceladas das linhas estaduais sob a jurisdição da ARTESP (Lei Federal 10.406/2002, Código Civil, artigo 740).

  • Objeto esquecido
  • Se você esqueceu algum objeto ou documento no interior de um dos nossos ônibus, entre em contato com a  nossa central de atendimento, para que possamos ajudá-lo a encontrar. Caso seja localizado, entraremos em contato com você através do seu e-mail.

    Lembrando que, de acordo com o artigo 8º, inciso 6º da resolução nº 1432, de abril de 2006 da ANTT, a empresa não se responsabiliza por objetos deixados no interior do veículo, uma vez que estes volumes, transportados na parte superior do veículo, são de responsabilidade do passageiro.

  • Remarcação e troca
  • Até 3h antes do horário de partida você pode realizar a troca sem custo (apenas com a restituição ou cobrança da diferença) nas agências da empresa. Caso o cliente não informe para a Rápido Ribeirão a intenção da troca da passagem até o período de embarque, a passagem passa a ser inválida depois da partida.

  • Sala VIP
  • É um prazer para a Rápido Ribeirão oferecer qualidade, conforto e tranquilidade em seus serviços.

    Pensando nisso, a Rápido Ribeirão criou um espaço exclusivo para seus clientes aguardarem o embarque: a Sala VIP. Com ar-condicionado, água, banheiro, televisão, espaço para leitura e acesso à internet, a Sala VIP é um excelente lugar para relaxar.

    Para facilitar ainda mais, o local possui saída direta até a plataforma de embarque.

    Você já encontra Sala VIP nos terminais rodoviários de:

    • São Paulo / Terminal Rodoviário Tietê
    • Rio de Janeiro / Rodoviária Novo Rio
    • Curitiba / Terminal Rodoferroviário
    • Florianópolis / Rodoviária
    • Belo Horizonte / Garagem
    • São José do Rio Preto / Avenida Governador Adhemar Pereira de Barros, 3400, Jardim Europa
    • Joinville / Rodoviária

     

  • Sala NET
  • Em conjunto, as empresas do Grupo JCA, Viação Cometa1001CatarinenseExpresso do Sul e Rápido Ribeirão criaram um local exclusivo para clientes on-line, chamado de Sala NET.

    Neste espaço, retirar ou comprar suas passagens ficou ainda mais fácil!

    Você pode ser atendido no guichê por nossos funcionários ou manualmente nos terminais de autoatendimento.

    Você encontra os totens nos terminais rodoviários de:

    • Belo Horizonte / Terminal Rodoviário
    • Campinas / Terminal Rodoviário
    • Curitiba / Terminal Rodoferroviário
    • Florianópolis / Terminal Rodoviário
    • Ribeirão Preto / Terminal Rodoviário
    • Rio de Janeiro / Terminal Novo Rio
    • São Paulo / Terminal Rodoviário Tietê
    • Sorocaba / Terminal Rodoviário